Grande Natal recebe 12% do combustível esperado para os últimos 6 dias, diz Sindipostos

O estoque de combustíveis nos postos da região metropolitana de Natal está em situação crítica, segundo afirmou o presidente do Sindicato do Comércio Varejista de Derivados de Petróleo (Sindipostos), Antonio Sales. A estimativa do setor é que postos fiquem sem disponibilidade dos produtos já a partir da noite desta terça-feira (29), mas alguns ainda possam fornecer até esta quarta (30). O desabastecimento é provocado pela greve de caminhoneiros, que permanecem bloqueando passagens de caminhões em rodovias do estado.

De acordo com a estimativa do sindicato, apenas 12% do combustível esperado para os últimos seis dias chegou aos postos da região metropolitana da capital. Os representantes, porém, afirmam que não têm como aferir quantos postos estão com estoques vazios ou não.

No interior, há relato de falta de gasolina, álcool e outros combustíveis em pelo menos 20 cidades: São Miguel do Gostoso, Parelhas, João Câmara, Parazinho, São Paulo do Potengi, Acari, Monte Alegre, Caraqúbas, Florânia, Tibau, Serra Negra do Norte, Cruzeta, Grossos, São Rafael, Vera Cruz, Montanhas, Baraúna, Jaçanã, Riachuel e Serra do Mel.

Na região metropolitana, Ceará-Mirim já enfrenta desabastecimento e a previsão do Sindipostos é que Parnamirim entre na mesma situação até o final do dia. Em Mossoró, segunda maior cidade potiguar, enquanto postos têm disponibilidade de um tipo de combustível, faltam outros.

O abastecimento do Rio Grande do Norte depende principalmente da refinaria Clara Camarão, localizada em Guamaré, a 140 quilômetros de Natal. De acordo com Antonio Sales, em situação normal, 110 carretas passam diariamente pela BR-406, para abastecer a região metropolitana. Porém, um bloqueio na rodovia fechou a passagem de caminhões há seis dias.

No último sábado (26), os manifestantes abriram passagens, mas o bloqueio voltou a acontecer na tarde de domingo (27). A estimativa do Sindispostos é que 80 caminhões passaram nesse período. E são os que estaríam abastecendo os postos até agora. Eles representam 12% do total de 660 que passaríam pela rodovia no período.

No estado, há cerca de 480 postos, sendo 100 em Natal. Desse total, 180 são filiados ao sindicato. Apesar dos bloqueios, a Polícia Rodoviária Federal está fazendo escolta de caminhões com QAV (combustível de aviação) para os aeroportos de Natal, João Pessoa e Fortaleza. Carretas com outros tipos de combustível também são escoltadas para abastecer órgãos governamentais, como polícias e hospitais.

VIA G1/RN

Deixe uma resposta