Falta de estacionamento tira por dia mais de 20% dos clientes do Alecrim

Terça-feira, 5 de junho. Começo de semana, as ruas do Alecrim parecem fluir tranquilas numa manhã de temperatura amena, céu limpo e azul.

Comerciantes e ambulantes têm tudo para fazer boas vendas, não fosse um problema crônico do bairro onde cerca de 5 mil comerciantes disputam espaço com outros cerca de 3 mil ambulantes.

Não há estacionamento, nem pra remédio.

Segundo os comerciantes ouvidos pelo Agora RN, a falta de vagas é responsável por 20% das compras que deixam de ser feitas no Alecrim em média todos os dias.

Ao longo dos anos, esse problema contribuiu para que o comércio de lá perdesse 40% do movimento que já teve no passado, segundo a estimativa dos próprios comerciantes.

É difícil precisar o tamanho desse prejuízo em dinheiro.

O próximo presidente da Associação dos Empresários do Alecrim, Pedro Campos de Azevedo, 35 anos de comércio no bairro e dono de uma loja de equipamentos e refrigeração, assume nesta quinta-feira, 7, com muitos planos para devolver o prestigio ao maior centro popular de compras de Natal.

Mas ele reconhece que não será fácil.

Agora RN apurou que, além dos comerciantes estabelecidos, a grande maioria dos ambulantes que invadem as calçadas têm carro próprio. Ou seja, quando o bairro amanhece, as vagas disponíveis já foram todas ocupadas por quem trabalha ali, deixando os clientes sem qualquer possibilidade de estacionar.

Nesta terça-feira, o futuro presidente da Associação dos Empresários do Alecrim antecipou que uma de suas primeiras metas será disciplinar, organizar e manter as áreas livres através de parcerias com empresas públicas ou privadas.

É um objetivo tão justo quanto complexo.

A última audiência pública para implantar o estacionamento rotativo, dois anos atrás, não resultou em nada.

Mas Pedro Campos vai bater na mesma tecla e dar continuidade a antigas parcerias para profissionalizar a mão de obra que vive da economia local via Fecomercio, Sesc, Senac e Sebrae.

‘É uma luta contínua, sem trégua, mas que precisa ser feita”, diz Pedro Campos, já sabendo das dificuldades que terá pela frente.

Desde 2011, quando o Sebrae desenvolveu uma série de levantamentos e atuou fortemente para desenvolver o comércio local, o Alecrim não tem um levantamento atualizado de quanto terreno perdeu para problemas como a falta de estacionamento.

O atual presidente da Associação dos Comerciantes, que logo passará a bola para Pedro Campos, Denerval Sá, diz que a segurança nem é hoje um grande problema do bairro, a despeito dos pequenos furtos que proliferam pela cidade. E por um motivo fácil der entender: os ladrões têm medo de não escapar das ruas do Alecrim depois de agirem.

“Basta um gritar pega ladrão para o bandido ver meia centenas de pessoas nos seus calcanhares dele”, diz o comerciante

Deixe uma resposta