Maior hospital infantil do RN corre risco de suspender atendimento

O Hospital Pediátrico Maria Alice Fernandes, principal unidade de saúde do Estado no atendimento pediátrico, está correndo risco de suspender suas atividade por falta de médicos. A informação foi dada por uma médica que preferiu não se identificar ao jornalista Ranilson Oliveira, repórter do Jornal do Estado, da TV Ponta Negra.

De acordo com a profissional, se até o próximo dia 18 a Secretaria de Saúde do Estado não enviar profissionais para complementar o quadro, a unidade suspenderá os atendimentos. “Nós temos crianças de Natal, Parnamirim, Extremoz, Vera Cruz, Pureza, Caicó, Coronel Ezequiel, Senador Georgino Avelino, Jandaíra e estamos esperando uma criança de Florânia. Avisamos a direção, a direção avisa e nenhuma providência é tomada”, contou.

Segundo ela, não há mais como “puxar” a escala. “Ninguém aguenta mais. É para estarmos em três e vocês estão vendo que estamos em dois”, disse. Há dois anos o hospital fechou sua unidade de terapia intensiva, onde havia dez leitos. Com isso, dez profissionais acabaram sendo transferidos.

A falta de UTI acarretou também o fim das cirurgias de grande porte. “Os profissionais foram transferidos para a UTI do Walfredo Gurgel”. Atualmente, os pacientes em estado grave são encaminhados para uma ‘sala vermelha’, onde ficam aguardando vagas em outras unidades. “A gente às vezes esperar um dois dias para conseguir vaga na UTI. E, às vezes, o Samu vem mas a criança não está estabilizada”.

Para fechar a escala são necessários pelo menos sete médicos pediatras com quarenta horas de trabalho por semana, além dos que trabalham na unidade. A solução para o problema seria a nomeação dos aprovados no concurso da Saúde, mas isso ainda não foi providenciado. Assista a reportagem completa, que revela mais problemas na unidade. A Secretaria de Saúde se pronunciou por meio de nota.

Deixe uma resposta